Produto ou Filho do Reino?

Muito se fala acerca de ser um filho do “Reino”. Muitos conceitos e “rótulos” são criados para defender o indefensável. Para muitos, fazer “algo” na “obra de Deus” significa ser um filho do Reino. Mas o que de fato vemos é que muitos se tornaram um “produto” de consumo religioso e aparentemente se tornaram filhos do “Reino”. O cuidado deve ser constante, a vigilância precisa ser lúcida em todo o tempo para que não venhamos a cair no engano deste mundo tenebroso. É assim que muitos acabam se desviando do Caminho, acabam no erro por não atentar para a simplicidade da vida com Deus. Todos nós conhecemos princípios básicos da vida de um verdadeiro cristão e dois que são imprescindíveis são: oração e a leitura e meditação nas escrituras. Sem esse desejo essencial não há como desenvolver uma mente sadia e uma consciência livre de pressões e imposições humanas. É justamente por isso que muitos se tornam manipuláveis e acabam se tornando prisioneiros em sua alma. A liberdade que Jesus nos chama a viver é acima de toda doutrina criada em Seu nome. Não é o fato de usar o nome de Jesus que vai me tornar um filho do reino, não é fazer “muitas coisas” em prol da “sua obra” que me torna este filho. O que nos faz ser filhos do reino é compreender a obra redentora de Jesus na cruz e assumir essa identidade que por Ele fomos reconciliados com Deus, portanto, agora nosso viver tem haver com o Pai que dizemos ter. Ainda que possamos aprender com outras pessoas, ainda que palavras sempre venham para nos edificar, consolar, exortar, nada melhor do que assumir a responsabilidade de andar conforme os ensinamentos de Jesus. Nesse processo o Espírito Santo tem o papel de nos convencer de nossos pecados e equívocos e nos levar a toda a verdade da palavra de Deus, não apenas a palavra que lemos no livro que “santificamos”, a Bíblia, mas a palavra encarnada em nosso proceder, a palavra que nos habita: Jesus! Para muitos parece difícil compreender isso, parece algo inalcançável, porém, é apenas uma decisão de exercitar a fé em Cristo na prática diária do nosso viver. Ser um produto deixa claro uma coisa: tem data de fabricação e validade. Mas lembre-se: o que Deus faz em nós não tem data de validade, mas continuação na eternidade. Glória a Deus! A obra que Ele começou em cada ser humano não tem final feliz, mas uma eternidade de felicidade, nunca terá fim! O Infinito que nos habita quer nos levar cada dia a uma nova experiência, há experiências profundas com sua presença em nosso interior e que se manifestam no que fazemos. Nada é por esforço nosso, mas por obra do seu Espírito em nosso espírito que renova e transforma nossa mente causando mudanças incontestáveis. Aquele ladrão que estava ao lado de Jesus teve um rápido vislumbre de quem Jesus era, não um produto religioso nem alguém que podia operar muitos milagres, mas ele reconhecer que Jesus pregou com sua vida um reino que não tem visível aparência, mas que mudou a vida de milhares de pessoas e continuará mudando todos os dias. Por esse fato de reconhecer Jesus naquele momento de “aparente morte”, aquele homem vive para sempre, pois foi Jesus quem garantiu a ele dizendo: hoje mesmo estarás comigo no paraíso! É esta compreensão que revela o quanto Dele está impregnado em nossa mente e coração e que nos faz viver como um verdadeiro filho que honra o Pai que tem. O amor do Pai quer inundar todo o nosso ser e nos tornar mais semelhantes a Ele. Não seja um “produto religioso”, mas entenda o que é ser filho do Reino e permita que o Reino, que como disse Jesus está dentro de nós, seja expresso em tudo o que fizermos. Um filho segue os conselhos e ensinamentos de seu pai e o nosso Pai eterno jamais diria algo sem fundamento ou que possa transformar nossa mente, algo que possa produzir uma verdadeira metanoia em nosso ser. Produtos são descartáveis, filhos são herança! Pense nisso e que Deus abençoe sua vida ricamente.

No amor de Jesus para servir em amor,

Geziel Freitas

Música: Ele | Composição: Geziel Freitas >

Anúncios